sexta-feira, 28 de junho de 2013

Multiplicação, por Joel Comiskey


Jay Firebaugh praticou a multiplicação em muitas ocasiões. Ele oferece as seguintes orientações adicionais:

“Não espere que os membros na sua célula QUEIRAM gerar outra célula. Na verdade, se quisessem ficar longe uns dos outros, você teria um problema! Provavelmente, o valor e o amor entre eles devem ter aumentado. Essas pessoas ansiavam por comunidade em sua vida e agora uma multiplicação pode parecer como uma ameaça de perder isso. SEJA EMPÁTICO! No entanto, você aprendeu que a maior ameaça à comunidade é o grupo se tornar grande demais e/ou que crescer para dentro.

É fundamental que o líder e o auxiliar claramente creiam e apresentem o fato de que a multiplicação é a melhor coisa para a célula. Se uma célula não se multiplicar no tempo apropriado (quando tiver cerca de 15 membros), uma de duas coisas vai acontecer:
  1. O grupo continua a crescer e se torna um grupo de tamanho considerável em vez de uma célula. A comunidade estará perdida porque compartilhar se tornará algo superficial e feito com cautela. A DINÂMICA DA CÉLULA ESTÁ PERDIDA E A COMUNIDADE TAMBÉM ACABARÁ SE PERDENDO!
  2. O grupo pára de crescer e se volta para dentro. Será “nós quatro e ninguém mais!”. Quando o foco se afasta da cadeira vazia, do evangelismo e da pergunta a Deus de quem mais poderia se beneficiar desse grupo, é o começo do fim! O grupo muda da dinâmica de “Cristo no meio” (Mateus 18.20) para a contemplação do umbigo. NOVAMENTE, a comunidade está perdida.
A única maneira de manter a comunidade é soltar! Multiplicar permite que o foco do grupo se mantenha para fora enquanto continua encontrando comunidade na dinâmica de uma célula. Seja paciente com seus membros ao conduzi-los nesse processo. O nascimento físico é difícil porque o bebê não quer deixar o ambiente seguro do útero para o risco desconhecido do mundo lá fora. Mas a vida é fora do útero! Ao ajudar os seus membros nesse período traumático, você experimentará a vida de Deus agindo em e por meio de sua célula!” 

Nenhum comentário:

Postar um comentário